12 ilhas para escapar em 2017

Todo mundo já sonhou alguma vez com a fugir para uma ilha, e, de preferência, a uma ilha tropical e ensolarado. 2017 pode ser um bom ano para descobrir essa ilha perfeita. Essa seleção de 12 ilhas, uma para cada mês, estão desde os paradisíacos atóis do Pacífico, lugares carregados de história como Goreia ou Moçambique, e desde reservas naturais excepcionais, como as Galápagos até ilhas nórdicas envoltas em lendas.

1. O PARAÍSO SELVAGEM DAS ILHAS GALÁPAGOS (EQUADOR)

Em nenhum outro lugar, como nas ilhas Galápagos, supera tanto o reino animal, os seres humanos. Em pleno oceano Pacífico, 1000 km a oeste do continente, os visitantes às vezes se sentem mais observados que observadores.
Os piqueiros patiazules montam seus ninhos no meio dos trilhos, os leões-marinhos de Galápagos dormem nos bancos dos povos e das fragatas seguem a esteira dos navios, quando sobrevoam as 17 ilhas do arquipélago. Quando o visitante se depara com um animal, é observado por este com ingênua curiosidade e a convicção de que aqui mandam eles.
Charles Darwin visitou o arquipélago em 1835, meditando sobre a origem das espécies. Quase 200 anos mais tarde, a vida animal destas ilhas, declaradas Património Mundial, continua pasmando e confundindo. O Aves, com as patas azuis? O Lagartos amarelos? Como pássaros que aprendem a voar caindo por penhascos? Todos os animais que as habitam parecem fazer gala de alguma especial característica ou inesperada habilidade.
Cada ilha é a ponta de um vulcão submarino (os do oeste ainda continuam ativos) e o áspero e preto terreno transmite a enganosa sensação de estar morto… até que a própria terra parece se mover. É possível que se trate do maior espetáculo natural do planeta.
2. SKYE, A ILHA MÁGICA (ESCÓCIA)
A maior das ilhas Hébridas tem castelos e fazendas, mares cor cinza escuro e cristalinas piscinas de fadas, charnecas e vales esmeralda. Os escaladores desafiam os picos escarpados da serra Cuillin, e os amantes da fauna vão ver ciconiformes europeus, golfinhos e baleias-Oeste. Se você tem fome, você pode parar na bela Portree a comer fish and chips. No verão o sol não se põe até depois das 23: 00h, cobrindo esta mágica ilha ligada ao continente por uma ponte, de um brilho dourado sobrenatural.
Como ir: A melhor opção é alugar um carro.
3. KO TAO, O PARAÍSO DO SUBMARINISTA (TAILÂNDIA)

Por que Ko Tao e não outra ilha tailandesa? A resposta está sob as águas mornas e tranquilas águas que rodeiam esta bela porção de terra. Seu ás na manga é fácil de descobrir, graças à grande variedade de pontos de mergulho em frente à costa e um espetáculo submarino que ganhou a submarinistas e mergulhadores de todo o mundo.
É possível brincadeira junto com tubarões e raias, brindar o dia com um cocktail em uma praia de areias brancas e no dia seguinte repetir. Mas o que torna a Ko Tao em um lugar especial que oferece muito mais. Os caminhantes e os eremitas podem se perder com as úmidas selvas litorais e, quando se cansam de imitar a Robinson Crusoe, ir de bar em bar até o amanhecer.
Como ir: Para chegar em Ko Tao, ao largo da costa sudeste da Tailândia, há que apanhar um barco em Ko Pha-Ngan ou em Ko Samui. Os melhores locais para mergulhar são os lugares em que há a 20 km da costa.
4. BORA BORA, ANEL TURQUESA (POLINÉSIA FRANCESA)

Se você chegar de avião, a promessa do Paraíso se cumpre o instante: um anel de motu (ilhotas de areia ao redor de uma lagoa azul-turquesa brilhante que, por sua vez, envolve uma ilha com altos picos basálticos, cobertos de floresta tropical. Neste cenário de sonho transformou Bora Bora em sinônimo de lua-de-mel, mas há muito mais que fazer além de descansar em hotéis de primeira.
Os submarinistas e mergulhadores podem desfrutar das águas quentes, com tubarões de ponta negra ou listras entre os reluzentes cardumes de peixes. Também é possível fazer passeios e parasailing. Além disso, é um paraíso muito mais acessível do que parece, já que junto aos hotéis de cinco estrelas existem vários locais pitorescas e hotéis a preços razoáveis.
Como ir: Bora Bora, na Polinésia Francesa, está a 270 km a noroeste do Taiti, de onde se chega de avião ou barco. De junho a outubro é a época mais seca e mais popular.
5. ILHA DE GOREIA, A ILHA DE MEMÓRIA (SENEGAL)
Uma estranha calma envolve a ilha de Goreia (em francês Ile de Gorée, e em português, Ilha de Goreia). Ruas coloridas buganvílias e claros edifícios coloniais enchem este espaço sem carro varredura pela areia. Mas é uma quietude que dá que pensar, pois suas construções que testemunham o tráfico de escravos. A Casa dos Escravos é o monumento comemorativo da época, a Porta do Não Retorno, ele abre o mar, embora se discuta quantas vítimas da cruzaram, ninguém discute o cru lembro-me de que ela evoca.
Como ir: A ilha de Goreia fica a 3,5 km de Dakar. Os ferries realizadas a cada 1-2 horas a viagem de 20 minutos.
6. ARQUIPÉLAGO DE BACUIT, A DIFÍCIL ESCOLHA DO PARAÍSO (FILIPINAS)

Neste país de 7107 ilhas, escolher qual delas oferece a combinação ideal de areia, palmeiras e corais sempre foi um desafio. Vamos facilitar a coisa: do descontraído localidade de mergulho de O Ninho se pode percorrer um paraíso rocha de ilhéus coroados de selva em uma bela baía azul-turquesa. O arquipélago de Bacuit oferece praias escondidas, cavernas secretas, lagoas perdidas, sítios arqueológicos e espectaculares locais de mergulho. Você pode nadar com tubarões-baleia, listras, dogons e outros habitantes das profundezas em um dos últimos destinos de ilhas tropicais relaxantes.
O principal meio de transporte no arquipélago é a sugestiva barca de batangas, mas também é possível navegar em um caiaque alugado ou entre as próprias óculos de mergulho, tubo e barbatanas.
Como ir: você Tem que fazer um cruzeiro de ilha em ilha, ou fretar um barco que deixe o viajante em uma ilha deserta para se sentir como um verdadeiro Robinson: em ambos os casos, você vai desfrutar de tudo o que oferece viajar por todo o sudeste asiático.
7. ILHA DE SOCOTRA, GALÁPAGOS, SEM TURISTAS (IÉMEN)
Qual é o cenário mais sobrenatural do Oriente Médio? Talvez Socotra, onde dragos densa taça hemisférica se erguem na paisagem pontilhada de rochas, criando uma imagem de ficção científica. É um dos lugares de maior biodiversidade do mundo, com mais de 700 espécies endêmicas. Esta ilha deve ser tão famoso como o arquipélago das Galápagos, mas a instabilidade da zona mantém afastado o turismo. É um curioso mundo perdido, que aguarda a chegada do viajante intrépido.
8. PULAU SIPADAN, UM PARAÍSO DO MERGULHO EM BORNÉU (MALÁSIA)

Localizada a 36 km da costa sudeste de Sabah, a pequena Sipadan é a estrela mais brilhante da constelação de ilhas do arquipélago de Semporna. É a ponta de um vulcão extinto de paredes quase verticais: revestidas de corais em tecnicolor, são parada obrigatória para todo tipo de vida marinha, a partir de barracudas e até peixes-papagaio jorobados e, de março até maio, tubarão-baleia. As tartarugas marinhas e tubarões de recife se dão por adquirido em qualquer imersão, e talvez sejam cobertores, listras águia, polvos e tubarões martelo.
Como ir: Atualmente as imersões noturnas estão proibidas até novo aviso, mas o normal é acabar exausto depois de passar o dia mergulhando. O importante é reservar com antecedência: só se dão 120 passes diários para Sipadan (imprescindíveis para praticar o mergulho, como o mergulho).
Onde dormir: O centro de propriedades, a área é Mabul, ilha ideal para o mergulho macro (é proibido pernoitar em Sipadan).
9. ILHA DE OMETEPE, A JÓIA DO LAGO NICARÁGUA (NICARÁGUA)
As duas razões mais óbvias para visitar Ometepe, a maior ilha do maior lago da américa Central, são os vulcões Madeiras e Concepção. Há excursões que permitem ver os macacos bugios e atravessar florestas de nuvens até chegar ao topo. Em Ometepe também há inscrições rupestres, praias e propriedades maravilhosas. A sua história está coalhada de piratas e conquistadores, e tem a fama de ser um lugar sagrado. Há que ir porque já existe um projeto de canalização que em breve transformará o lago Nicarágua.
Como ir: Há ferries de São Carlos, Granada e São Jorge. A escalada/excursão dos vulcões é complicada.
10. BORA BORA, UMA ILHA TROPICAL POSTAL (POLINÉSIA FRANCESA)

Moorea (Mo’orea, em taitiano) é tão bonita que o visitante esfregou os olhos com a surpresa quando a vê pela primeira vez desde Taiti. A lagoa azul-turquesa que parecia uma montagem no folheto é ainda mais bela realidade. Bora Bora é a mais famosa, mas os penhascos esmeralda quase verticais, as reluzentes pôr-do-sol e a beleza submarina dos recifes de Moorea em conjunto fazem com que o visitante se sinta a pessoa mais feliz da Terra.
Como ir: A menos de 20 km do Taiti, Moorea se chega por mar ou ar. De maio a outubro é a estação seca, e a época de observação de baleias vai de julho a outubro.
11. SAN BLAS, AS ILHAS SECRETAS DO PANAMÁ
Em Frente à costa caribenha do Panamá, como jóias ao redor, as ilhas de San Blas são o lar de coroa, que levam uma vida simples, pescando nas ricas águas do mar do Caribe. Um lento fluxo de passageiros começou a seguir o seu exemplo, depararam-se com um Caribe virgem nas ilhas que estão indo para o oeste a partir de Cartí até quase chegar à fronteira colombiana. É o lugar ideal para aqueles que não querem compartilhar a sua ilha paradisíaca com ninguém.
Esta é a comarca de Kuna Yala, onde pode descobrir como era o Caribe antes da chegada dos bares de praia, as plantações e os construtores. São ilhas dormidas onde os fantasmas dos piratas e dos chefes tribais flutuam entre palmeiras. Além disso, sob a água há muito por ver, com recifes repletos de peixes tropicais.
Como ir: Cartí é o ponto de entrada e há barcos que percorrem todas as ilhas.
12. BONANZA AQUÁTICA NO ARQUIPÉLAGO DE BAZARUTO (MOÇAMBIQUE)

Nas águas do arquipélago se vêem tantos tons de azul como espécies aquáticas habitam suas profundezas, o que é dizer muito, tendo em conta que esta cadeia de ilhas faz parte de um parque nacional marinho de 1400 km2. Tanto se viajar por terra como por mar…