Por que tú tem que impedir viajar para esses países prontamente

Não é o tipo de texto que você pesquisa no momento em que quer escolher seu próximo destino. Porém um pouquinho de utilidade pública nunca é demais. Uma coisa é generalizar e outra é ser realista diante dos defeitos que se tem para entrar em um país ou conhecê-lo. Listamos abaixo alguns lugares que, por hora, não são bastante recomendáveis de se deslocar-se, seja pela situação econômica, política ou social. Antes de mais nada, você tem que compreender já que é agradável saber um pouquinho da realidade ambiente:
– primeiramente, por segurança. Este é o fator principal que faz o volume de turistas estrangeiros desabar no país;
– por questões financeiras. Tú tem que saber a quantas anda o câmbio em relação ao real, como também o poder de compra da moeda. Quer dizer, quanto realmente ela vale para adquirir uma acessível garrafa d’água. Além disso, a decadência pode aparecer a um ponto em que possa ser inviável “turistar” por lá. Os serviços encarecem e ter acesso a eles com característica fica ainda mais difícil, uma vez que a estrutura do país é desfavorável;
– por problemas de saúde, de forma especial graças a do surto de doenças;
– saber mais sobre o local mostra interesse no país que está visitando, não só para recolher selfies entretanto também para explorar aquela cultura;
– tem cenário para conversar com moradores locais ou no mínimo apreender o que eles estão falando;
– nem cometer gafes fazendo comentários infelizes com habitantes do ambiente

É interessante que você saiba que estes são fatores temporários antes de riscar esses destinos de uma vez no mapa. Não é o caso de países como Bélgica e França que, apesar de terem sofrido atentado terrorista, nem tornaram-se palco de acontecimentos recorrentes.
O cuidado nestes países anda continua, mas estamos postando de lugares em que a segurança dos habitantes, e de tu, turista, está em traço até que o governo dos países envolvidos coloquem várias mudanças em prática. No entanto uma coisa é certa: viajante é livre para destinar-se aonde bem perceber. Confira a relação dos países não recomendados para se viajar:
A insegurança é mais potente no sul das Filipinas, segundo a orientação do próprio Ministério das Relações Exteriores. Pela região de Mindanau, alguns grupos têm atônito embarcações para sequestrar estrangeiros e pedir dinheiro do resgate.
Além desse tipo de ocorrência, também têm sido inscritos confrontos de forças separatistas contra o governo do país e até aparatos explosivos colocados em locais públicos.
A segurança tem sido reforçada, no entanto a indicação é de deslocar-se pra áreas mais seguras, que são as regiões central, Visayas, e do norte, Luzon. Estas são as áreas em que o arquipélago – formado por mais de sete 1 mil ilhas – é dividido, somando a região sul, Mindanau.
O país anda um tanto conturbado, ou no mínimo são essas as notícias que chegam no Ocidente. A população tem feito abundantes protestos contra a corrupção e um dos mais recentes foi contra os baixos salários, feito no dia 1º de maio.
O arquipélago acabou de ir pelas eleições presidenciais, em que Rodrigo Duterte, ganhou, de acordo com a BBC. Ele já foi prefeito por mais de 20 anos e é popular por ser do tipo “linha-dura” no conflito ao crime.
É, já sabemos que o Brasil também está na mira de países “zikados”. A recomendação na imprensa internacional, para quem vem nos visitar, é de cautela e máxima prevenção contra picada do mosquito Aedes aegypti, transmissor do vírus da zika. Também sugerem que mulheres grávidas impossibilitem viajar para várias regiões no Brasil.
O mesmo vale se tú for viajar pelas Américas. Tenha atenção aos seguintes países: Bolívia, Chile, Colômbia, El Salvador, Guatemala, Guiana Francesa, Honduras, Ilha de Martinica, México, Panamá, Paraguai, Porto Rico, Suriname e Venezuela. Eles estão listados como territórios que têm áreas de superior transmissão do vírus.
Além de ser um dos redutos do Aedes aegypti, o território mexicano enfrenta o combate ao crime estruturado. De acordo com o governo do vizinho Estados unidos, que emitiu o alerta pouco tempo atrás, as zonas turísticas nem tiveram nenhuma ocorrência.
Foram inscritos homicídios, furtos e sequestros em diferentes áreas do país, como nos estados do México, Oaxaca, Yucatan e Chihuahua, além de outros mais.
A orientação é que você impossibilite sair das áreas consideradas mais seguras e turísticas. Tendo como exemplo, se viajar de veículo ou de ônibus, poderá encontrar pontos de parada na avenida por militares.
A dica é estar atento, evitar lugares mais isolados. Nem use de preços elevados ou chamativos, como joias, relógios e o emprego de câmeras.
As tensões entre os partidos de oposição e o substituto do presidente Hugo Chavez, Nicolas Maduro, tem impactado a economia do país. Medidas do governo resultaram numa importante escassez de produtos de inevitabilidade primária, como água e itens de higiene.
A inflação tem alcançado índices que quebram qualquer país. Esta desestrutura tem aumentado a violência. Por este cenário, visitar a Venezuela imediatamente é acompanhar essa fase de tensão e insatisfação dos habitantes.
Além disso, tu podes ter problema de acesso a serviços ou ter que pagar preços mais caros.
Militantes de um grupo filiado ao Estado Islâmico no país atacaram a cidade de Ben Guerdane, em março. O ato causou a morte de 12 pessoas, entre civis e militares.
O problema é que os alvos destes grupos são forças do governo e lugares turísticos. Foi o que aconteceu no ano passado, em ataque a um museu e um hotel pela praia.
Impossibilite comparecer ao sudeste da Tunísia, que fica perto da fronteira com a Líbia. O mesmo para as regiões montanhosas, próximas da divisa com a Algéria, onde diversos dos grupos militantes se concentram. O estado de alerta no país foi mantido até junho.
Além da Tunísia, Egito, Líbia e Algéria têm sido áreas de atuação do Estado Islâmico, Al Qaeda e outros grupos extremistas.
O principal alerta é impossibilitar ir ao sudeste da Turquia, próximo à fronteira com a Síria. Mas, atentados novas tiveram como alvo regiões populosas, de forma especial com extenso concentração de turistas, como as cidades de Istambul e Ancara.
O governo do país tem entrado em atrito com grupos curdos, em uma região que há anos luta por independência. Além de atentados, a Turquia enfrenta intervenções como restrições à imprensa e a cidadãos que se coloquem contra o governo.
Impeça circular por áreas com muita gente e se hospede em locais onde que tú tenha a certeza de que estará seguro.
Infelizmente alguns países do continente africano seguem na tabela de locais não tão seguros para se visitar. Entre os casos mais novas, a República Democrática do Congo deverá ter eleições este ano, o que pode produzir superior agitação.
No ano anterior, diversos protestos pediram que o presidente Joseph Kabila deixasse o cargo. Viajantes estão sujeitos a serem parados em bloqueios oficiais nas estradas, do mesmo jeito que pagar suborno ante ameaça de atos de violência.
O Quênia enfrenta a atuação de forças extremistas desde 2013, essencialmente os vindos da Somália. Alguns ataques já foram feitos em áreas de circulação de turistas, como aeroportos e hotéis.